Notícias

ARI HECK finalista do Prêmio Direitos Humanos 2009 - Judiciário Cidadão da Anamatra
06/12/2009

A Comissão de Direitos Humanos da Anamatra analisou, nos dias 16 e 17 de novembro, os trabalhos recebidos para a 3ª edição do Prêmio Anamatra de Direitos Humanos nas categorias “Instituição”, “Judiciário Cidadão” e “Imprensa”. A reunião contou com a presença do diretor de cidadania e direitos humanos da Anamatra, Gabriel Napoleão Velloso Filho, e dos demais integrantes da Comissão – Andréa Nocchi (Amatra 4), André Cavalcanti (Amatra 13) e Leonardo Ely (Amatra 24). O Prêmio será entregue no dia 9 de dezembro, quando serão conhecidos os 1º 2º e 3º colocados nas categorias “Imprensa”, “Instituição” e “Judiciário Cidadão”.

Na ocasião, os magistrados elegeram os três finalistas em cada categoria. Caberá ao Conselho de Representantes da Anamatra, na reunião do dia 9 de dezembro, a decisão sobre os 1º, 2º e 3º colocados em cada categoria. A entrega do Prêmio ocorrerá nesta mesma data. Este ano, conforme prevê o regulamento, foram conferidas também “menção honrosa” a algumas iniciativas.
O vencedor de cada categoria receberá estatueta, inspirada no "Cilindro de Ciro", e prêmio em dinheiro no valor líquido de R$ 6 mil. Os demais finalistas (2º e 3º lugares) receberão premiação em dinheiro no valor de R$ 3 mil para cada concorrente.
Este ano o Prêmio Anamatra de Direitos Humanos conta com o patrocínio do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, da Companhia Brasileira de Petróleo Ipiranga e da Empresa Brasileira de Correios de Telégrafos.
Confira os selecionados:

CATEGORIA – JUDICIÁRIO CIDADÃO
Projeto: Aprendendo Direitinho (DF)
Participante: Ministro Eros Grau, do Supremo Tribunal Federal (STF)
Resumo: O “Aprendendo Direitinho” é uma ação que integra mídia (Rádio Justiça) e escola num projeto educacional para o exercício da cidadania e o desenvolvimento de relações justas e pacíficas entre as pessoas, inclusive no mundo do trabalho. O projeto do ministro do STF Eros Grau começa com a intenção de usar a mídia para ensinar Direito a alunos do ensino fundamental. Desde o primeiro momento, as crianças são colocadas como sujeito ativo das discussões, em processo de aprendizado que incentiva a reflexão e o debate.

Projeto: Luta pelos Direitos dos Deficientes (RS)
Participante: Servidor Ari Antonio Heck, do TRT da 4ª Região
Resumo: Autor de livros que abordam a inclusão social com a legislação básica e modelo de estatuto. Já vendeu mais de 8 mil cópias. Articulador e incentivador na criação de associações de deficientes tendo auxiliado na fundação de nove entidades no Rio Grande do Sul, o servidor público coordena, no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª. Região, a Comissão de Acompanhamento dos Servidores Deficientes, buscando a efetiva inclusão dos trabalhadores no mercado de trabalho com adaptação mobiliário, acessibilidade e outras necessidades desses trabalhadores.

Projeto: Movimento Cornélio Solidário (PR)
Participante: Juíza Ziula Cristina da Silveira Sbroglio, da Vara do Trabalho de Cornélio Procópio (PR)
Resumo: O Movimento Cornélio Solidário nasceu na Vara do Trabalho de Cornélio Procópio, no Paraná. O nome foi uma sugestão da juíza Ziula Cristina da Silveira Sbroglio. A atuação não se resume à entrega de alimentos, brinquedos, cobertores e fraldas pessoalmente pelos servidores e juízes às pessoas carentes, também são realizadas palestras, onde há distribuição de sacola retornável com folheto explicativo.

 

Todos os direitos reservados a Ari Heck